MT-130
<< Ir para o mapa

MT-130 - Trecho: Paranatinga-Mt - União do Norte-MT

Rede Xingu+
Alertas




Sumário

O segmento da MT-130 que está em nosso radar começa em Paranatinga/MT, cruzando com a BR-242 no distrito de Santiago do Norte, e segue até União do Norte/MT, no entroncamento com a MT-322. 

Histórico e momento atual

A MT-130 é uma rodovia estadual que se inicia em Rondonópolis/MT e se estende até União do Norte/MT, no entrocamento com a MT-322.

O segmento da MT-130 entre Paranatinga/MT e União do Norte/MT é subdividido em trechos alternados com diferentes estágios de conclusão: planejado de se pavimentar, não-pavimentado e ainda por se abrir.

Alguns trechos do segmento serão pavimentados e por isso já são objeto de licenciamento ambiental pela SEMA/MT.

O trecho entre Paranatinga/MT e Sete Placas, no entrocamento com a MT-240, possui Licença de Instalação para pavimentação com vencimento em outubro de 2019. Esse trecho passa nas proximidades da Terra Indígena Marechal Rondon, contudo, a FUNAI não foi instada a se manifestar pois a Terra Indígena não foi considerada afetada pelo empreendimento devido às distâncias estabelecidas pela Portaria Interministerial 60/2015.

Um pequeno trecho de 26 km da MT-130, ao sul de Santiago do Norte e que se cruza com a MT-324, é objeto de licenciamento ambiental para pavimentação asfáltica. Para esse trecho foi entregue ao IPHAN um estudo de impacto ao Patrimônio Arqueológico o qual demonstrou que toda a região do rio Jatobá consistiu em territórios tradicionais de perambulação dos povos Ikpeng, Waujá e Bakairi. O IPHAN autorizou à SEMA/MT a instalação desse trecho da rodovia. 

O trecho entre Sete Placas, no entrocamento com a MT-240, e Santiago do Norte, nas proximidades da MT-324, está sob processo de licenciamento ambiental na SEMA/MT, e passa nas proximidades da TI Marechal Rondon. A FUNAI foi instada a se declarar sobre a implantação desse trecho em 13 de maio de 2020.  

O trecho que vai de Santiago do Norte até a MT-322 é o que apresenta maior grau de ameaça para o Corredor Xingu, especialmente para o Território Indígena do Xingu (TIX). Esse trecho ainda não possui projeto para pavimentação nem para abertura de rotas, mas não deve sair do radar pois aparece como planejado no Mapa Rodoviário do Mato Grosso de 2018. 

Impactos Socioambientais

A região na qual se encontra o trecho entre Santiago do Norte e a MT-322 conta com maior parcela de remanescentes florestais em relação ao lado leste do TIX e apresenta altas taxas de desmatamento. Conforme o Boletim nº 3 do SiradX (abril) os municípios de Paranatinga, Marcelândia, Feliz Natal e União do Sul, todos na área de implantação da rodovia, estão na lista dos 10 municípios com maior área desmatada.


Próximos passos 

Assim como outras rodovias estaduais, a pavimentação da MT-130 deve ser estimulada pela implementação das obras do Corredor Logístico de Exportação do Interflúvio Tapajós-Xingu. 

Com a autorização do IPHAN, a SEMA/MT pode emitir Licença de Instalação para o trecho de 26 km da MT-130 a qualquer momento. 

Bem-vindo à
Rede Xingu+

Construída em tempo recorde, a usina de Belo Monte está
sendo construída sem licenciamentos exigidos por lei