MT-130
<< Ir para o mapa

MT-130 - Trecho: Paranatinga/MT - União do Norte/Peixoto de Azevedo/MT

Rede Xingu+
Alertas




Sumário

O segmento da MT-130 que está em nosso radar começa em Paranatinga/MT, cruzando com a BR-242 no distrito de Santiago do Norte, distrito de Paranatinga/MT, e segue até União do Norte, distrito de Peixoto de Azevedo/MT, no entroncamento com a MT-322. 

Histórico e momento atual

A MT-130 é uma rodovia estadual que se inicia em Rondonópolis/MT e se estende até União do Norte, distrito de Peixoto de Azevedo/MT, no entrocamento com a MT-322.

O segmento da MT-130 entre Paranatinga/MT e União do Norte é subdividido em trechos alternados com diferentes estágios de conclusão: planejado, não-pavimentado e em pavimentação.

Alguns trechos do segmento serão pavimentados e por isso já são objeto de licenciamento ambiental pela SEMA/MT.

PARANATINGA/MT - DISTRITO DE SANTIAGO DO NORTE

O trecho entre Paranatinga/MT e Sete Placas, no entrocamento com a MT-240, possui Licença de Instalação para pavimentação com vencimento em outubro de 2019. Esse trecho passa nas proximidades da Terra Indígena Marechal Rondon, contudo, a FUNAI não foi instada a se manifestar pois a Terra Indígena não foi considerada afetada pelo empreendimento devido às distâncias estabelecidas pela Portaria Interministerial 60/2015.

O trecho entre Sete Placas, no entrocamento com a MT-240, e Santiago do Norte, nas proximidades da MT-324, está sob processo de licenciamento ambiental na SEMA/MT, e passa nas proximidades da TI Marechal Rondon. A FUNAI foi instada a se declarar sobre a implantação desse trecho em 13 de maio de 2020.  

Um pequeno trecho de 26 km da MT-130, ao sul de Santiago do Norte e que se cruza com a MT-324, é objeto de licenciamento ambiental para pavimentação asfáltica. Para esse trecho foi entregue ao IPHAN um estudo de impacto ao Patrimônio Arqueológico o qual demonstrou que toda a região do rio Jatobá consistiu em territórios tradicionais de perambulação dos povos Ikpeng, Waujá e Bakairi. O IPHAN autorizou à SEMA/MT a instalação desse trecho da rodovia. 

DISTRITO DE SANTIAGO DO NORTE - DISTRITO DE UNIÃO DO NORTE

O trecho que vai de Santiago do Norte até o distrito de União do Norte, no município de Peixoto de Azevedo/MT, no entrocamento com a MT-322, é o que apresenta maior grau de ameaça para o Corredor Xingu, especialmente para o Território Indígena do Xingu (TIX). Nenhum dos subtrechos possui licenciamento ambiental aberto na SEMA/MT.

O subtrecho entre o distrito de Santiago do Norte e o município de Feliz Natal/MT já está em operação, mas não há planejamento para pavimentação.

O subtrecho entre Feliz Natal/MT e União do Sul/MT está em etapa de planejamento.

O subtrecho entre União do Sul/MT e Marcelândia/MT já está em operação, mas não há planejamento para pavimentação.

O subtrecho entre Marcelândia/MT e o distrito de União do Norte, no município de Peixoto de Azevedo, está em parte em operação e em parte em planejamento.

Impactos Socioambientais

A região na qual se encontra o trecho planejado da MT-130 entre Santiago do Norte e a União do Norte (encontro com a MT-322) conta com maior parcela de remanescentes florestais em relação ao lado leste do TIX e apresenta altas taxas de desmatamento. Conforme o Boletim nº 3 do SiradX (abril) os municípios de Paranatinga, Marcelândia, Feliz Natal e União do Sul, todos na área de implantação da rodovia, estão na lista dos 10 municípios com maior área desmatada.


Próximos passos 

Assim como outras rodovias estaduais, a pavimentação da MT-130 deve ser estimulada pela implementação das obras do Corredor Logístico de Exportação do Interflúvio Tapajós-Xingu. 

Com a autorização do IPHAN, a SEMA/MT pode emitir Licença de Instalação para o trecho de 26 km da MT-130 a qualquer momento. 

Bem-vindo à
Rede Xingu+

Construída em tempo recorde, a usina de Belo Monte está
sendo construída sem licenciamentos exigidos por lei